terça-feira, 15 de julho de 2014

Links de TODOS os Dias do For headS Metal World Cup 2014

Fuleco, o mascote da Copa do Mundo do Brasil, versão Metal


Sobre a Copa do Mundo do Brasil

Depois de anos de espera e "trabalho", a tão esperada Copa do Mundo no Brasil foi realizada (#SimTeveCopa). Contrariando a expectativa negativa de muitos, o Mundial foi um sucesso. É ao lado da Copa de 98 na França a com maior número de gols da história. Ao todo foram 171 gols. As partidas foram emocionantes e disputadas. O futebol mostrou mais uma vez uma das próprias qualidades: a imprevisibilidade. As grandes Espanha (atual campeã em 2010 na África do Sul), a Itália e a Inglaterra sequer passaram da primeira fase. E as zebras Argélia e, principalmente, Costa Rica surpreenderam. 

Teve lances polêmicos como o pênalti inexistente sobre o Fred na estreia do Brasil contra a Croácia, a mordida do uruguaio Soáres no zagueiro italiano Chiellini, o golaço do francês Benzema nos últimos segundos de jogo contra a Suíça e que foi anulado, contusão de Neymar que o afastou da competição e etc. A seleção canarinho decepcionou e sofreu a maior humilhação da história ao perder para a Alemanha por 7 a 1. Algo precisa mudar e com urgência. Título merecido para os alemães. 

Na Grande Mídia vimos como esta é extremamente interesseira e manipuladora, além de não ter medo de apresentar-se com hipocrisia. Antes da derrota para "terra do Scorpions", o Brasil era a seleção favorita ao título e sem dúvidas. Mesmo com Neymar fora a pergunta no ar era: "Será que o 'menino Neymar' conseguirá jogar a final no domingo?" Depois da humilhação, o circo recolheu o picadeiro e o verde e amarelo voltou para a gaveta. 

A grande vitória do país foi fora das quatro linhas. A hospitalidade dos brasileiros deu uma goleada e fez com que olhos dos estrangeiros brilhassem. Os elogios vieram aos borbotões. 95% dos turistas de fora classificaram, de acordo com pesquisa do jornal Folha de S. Paulo, acharam a hospitalidade dos brasileiros ótima ou boa. Um povo sofrido, porém alegre e carinhoso. No fim, não seremos lembrados por sermos relaxados demais, como criminosos ou por termos o melhor futebol apresentado, mas sim pela força de um simples abraço apertado. 



Sobre a 1ª edição da For headS Metal World Cup

Nos 25 dias de jogos deste Mundial, várias e várias bandas foram apresentadas nos "confrontos". Dentre grandes e pequenas, de países tradicionais do estilo a outros periféricos, todos tiveram espaço. Foi uma ótima chance para se conhecer artistas desconhecidos. Eu, Afonso Rodrigues adorei, por exemplo, o Black Metal do Woods of Desolation da Austrália e o Gothic Metal do Lacrimas Profundere da Alemanha. Foram cerca de 150 grupos divulgados. A estrutura de divulgação foi simples, mas os resultados foram positivos. Na Rússia, em 2018, várias e várias ideias já foram anotadas para que sejam colocadas em prática de uma melhor forma. Os "headS" não perdem por esperar. Será divertido! 

Abaixo estão os links de cada uma das rodas para que o internauta tenha a chance de ver e/ou rever as "partidas":

0 comentários:

Postar um comentário

Google+ Twitter RSS Facebook