sábado, 13 de setembro de 2014

Resenha: Beatallica "Masterful Mystery Tour" (2009)


A piada já começa pelo lado de fora. A capa do segundo álbum do Beatallica, banda que faz um Comedy Metal com letra parodiando canções dos Beatles e do Metallica, traz uma mistura dos álbuns “Magical Mystery Tour” (1967) dos ingleses e “Master of Puppets” (1986) dos americanos. O resultado é “Masterful Mystery Tour” lançado em 4 de agosto de 2009. A formação se manteve a mesma da primeira obra e conta com Grg Hammettson (guitarra e backing vocals), Jaymz Lannfield (vocal), Kliff McBurtrey (baixo e backing vocals) e Ringo Larz (bateria). Assim com “Master...” começa com “Battery”, “Masterful...” inicia-se com a mistura desta com “The Ballad of John and Yoko” (1969) do quarteto de Liverpool. Nasce “The Battery of Jaymz and Yoko”. A original do Metallica falava que o poder de uma bateria poderia destruir qualquer coisa... Mas quem precisa de um instrumento musical quando você tem uma pessoa amada entre você e seus amigos, não é mesmo? Se “Magical Mystery Tour” (álbum de mesmo nome, 1967) dos Beatles era um convite para uma “viagem”, “Master of Puppets” (álbum de mesmo nome, 1986) do Metallica era uma intimação de controle de um mestre perante o escravo. Ao se juntar os dois: “Masterful Mystery Tour”. 

Os ingleses tem “The Fool On The Hill” (“Magical Mystery Tour”). Tema sobre aqueles que se sentem sozinhos, isolados e que ninguém gosta dele, mas na verdade são os outros que são os tolos... Já o Metallica tem “Fuel” (“Reload” de 1997) que é a respeito daqueles que gostam de viver a vida no limite... O Beatallica tem “Fuel on the Hill” sobre um cara solitário que gostava de beber gasolina no alto de uma montanha... Nem só James Hetfield recebe uma excelente homenagem do Beatallica. Gleen Danzig (ex-Misfits) também é imitado com maestria pelo grupo. É muito divertido! Se Danzig tem “Am I Demon?” (“Danzig” de 1988), o Metallica tem “Am I Evil?” (na verdade, um cover do Diamond Head). Os Beatles surgem com “And I Love Her” (“A Hard Day’s Night” de 1964). Esta mistura resulta em “And I'm Evil”. 

Se os Beatles tem “Ticket To Ride” (“Help” de 1965) que conta a história de um sujeito apaixonado, porém triste ao ver a garota que tanto ama partindo feliz para outro lugar. O Metallica tem “Ride The Lightning” (“Ride The Lightning” de 1984) a respeito de um personagem morrendo em uma cadeira elétrica e contando os detalhes da situação. O que o Beatallica fez sobre? Juntou os dois, óbvio! “Everybody's Got A Ticket To Ride Except For Me And My Lightning” é sobre um metaleiro que ganha um ingresso para a cadeira elétrica... De “Rubber Soul” de 1965 vem “Run For Your Life” que fala de um homem de mente doentia que prefere ver a mulher morta que com outro. Do outro lado... Um cover de um cover. Em 1988, o Metallica lançou junto do single “Harvester Of Sorrow” a música “Breadfan” (10 anos depois a faixa foi relançada em “Garage Inc.”). Cover da banda britânica Budgie do álbum “Never Turn Your Back on a Friend” de 1973 e que fala sobre dinheiro. O resultado é “Running For Your Life”. 

O Metallica tem “The Thing That Should Not Be” (“Master of Puppets”) sobre loucura e os Beatles “Let It Be” (álbum de mesmo nome de 1970) que fala sobre esperança e fé nos momentos difíceis. Já “The Thing That Should Not Let It Be” é sobre crianças híbridas e Metal…? Na sequência, misturam “Hero of the Day” (“Load” de 1996) com “Day Tripper” (single de 1965). A primeira do Metallica fala sobre como o sucesso pode destruir a vida de uma pessoa. Já a música dos Beatles fala sobre uma prostituta. Nasce “Hero of the Day Tripper”. Se os ingleses tem “Got to Get You Into My Life” (“Revolver” de 1966) fala sobre um sujeito que saiu para passear e acabou encontrando a paixão da própria vida. Do outro lado tem os americanos falando sobre congelamento criogênico em “Trapped Under Ice” (“Ride The Lightning”). A junção dos dois dá em “Got To Get You Trapped Under Ice” que fala sobre o inferno que é ficar preso no gelo e com poucas opções de lazer, como assistir a MTV ou jogar Bananarama. 

The Frayed Ends Of Sanity” (“...And Justice For All” de 1988) é um retrato sobre a esquizofrenia. Porém, “I've Just Seen a Face” (“Help”) é a respeito de um cara apaixonado depois de um amor à primeira vista. A combinação disso é a “romântica” “I'll Just Bleed Your Face”. A penúltima faixa é “I Want To Choke Your Band”. Uma paródia da verdadeira romântica “I Want To Hold Your Hand” (“The Beatles“ de 1963). Na versão do Beatallica, “James” vocifera palavras de ódio contra as bandas de Hair Metal, como o White Lion e C.C. DeVille guitarrista do Poison. Uma clara alusão a rivalidade dos anos oitenta entre o Thrash Metal e o Hard Rock. Um ano antes, em 2008, o Metallica lançou “The Day That Never Comes” (“Death Magnetic”) que é uma música sobre os horrores da guerra. Em 1966, os Beatles lançam e adentram ao psicodelismo com “Revolver” e a última faixa daquele álbum (“Tomorrow Never Knows”) inspirou a última faixa deste álbum: “Tomorrow Never Comes”. É interessante notar a criatividade do Beatallica ao misturar a melodia de “The Day...” ao estilo psicodélico de “...Never Knows”. Apesar do Beatallica ser uma banda que trabalha misturando músicas de outras bandas é perceptível que existe uma leve evolução entre “Masterful Mystery Tour” e o antecessor “Sgt.Hetfield’s Motorbreath Pub Band”. “Masterful...” é mais fluído e as faixas soam mais naturais. Sem contar a sensibilidade da banda em fazer as melhores combinações possíveis entre as obras dos Beatles e do Metallica. 



                                                                                    Opinião do autor:
Nota track by track.

Nota track by track.

Nota do álbum.
Banda: Beatallica
Ano: 2009
Álbum de estúdio nº 2
Gravadora: Oglio Records
Gênero: Comedy Metal (Rock/Metal)
País: Estados Unidos


0 comentários:

Postar um comentário

Google+ Twitter RSS Facebook